compete 2020Tal como noticiamos no passado dia 30 de Dezembro, foram publicados os 1ºs concursos no âmbito do POCI e que se destinam a apoiar projetos conjuntos para a Qualificação e Internacionalização das PME. Os projetos candidatos aos presentes Avisos devem visar a promoção da competitividade das empresas, através do desenvolvimento de um programa estruturado de intervenção num conjunto de PME que deve apresentar soluções comuns e coerentes face a problemas ou oportunidades a explorar, claramente identificadas e justificadas, no quadro das empresas a envolver.

PROJETOS CONJUNTOS – INTERNACIONALIZAÇÃO

O desenvolvimento e reforço das capacidades internas das PME no domínio da internacionalização constitui uma das prioridades de investimento desse eixo, na qual se inscreve o objetivo específico de promover o desenvolvimento de processos de qualificação, permitindo potenciar o aumento da base e da capacidade exportadora e da visibilidade internacional das PME.

Para as entidades beneficiárias (PMEs) destas iniciativas consideram-se elegíveis as seguintes despesas, desde que diretamente relacionadas com o desenvolvimento do projeto:

1. Participação em feiras e exposições no exterior;

a. Custos com o aluguer de espaço e a construção do stand;

b. Custos de funcionamento do stand;

 

2. Serviços de consultoria especializados, prestados por consultores externos, relacionadas com:

a. Prospeção e captação de novos clientes, incluindo missões de importadores para conhecimento da oferta do beneficiário;

b. Ações de promoção realizadas em mercados externos, designadamente assessoria de imprensa, relações públicas, consultoria de mercado e assistência técnica à preparação de eventos;

c. Campanhas de marketing nos mercados externos, o que compreende a contratação de serviços nas áreas de mailing e telemarketing, publicidade e meios de comunicação especializados;

d. Custos com a intervenção de técnicos oficiais de contas ou revisores oficiais de contas;

e. Estudos e diagnósticos;

f. Custos iniciais associados à domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas, subscrição inicial de aplicações em regimes de “software as a service”, criação e publicação inicial de novos conteúdos eletrónicos, bem como a inclusão ou catalogação em diretórios ou motores de busca.

 

PROJETOS CONJUNTOS – QUALIFICAÇÃO DAS PME

O alargamento de capacidades avançadas de desenvolvimento de produtos e serviços constitui uma das prioridades de investimento desse eixo, na qual se inscreve o objetivo específico de promover o desenvolvimento de processos de qualificação das PME e das suas estratégias de negócio, contribuindo para o reforço das suas condições imateriais de competitividade.

São suscetíveis de apoio os projetos que visem ações conjuntas de qualificação de PME em domínios imateriais, com investimentos em equipamentos, software e serviços especializados, direcionadas para o aumento da competitividade, da flexibilidade e capacidade de resposta no mercado global, nas seguintes áreas de intervenção:

  1. Inovação organizacional e gestão - introdução de novos métodos ou novas filosofias de organização do trabalho, reforço das capacidades de gestão, estudos e projetos, redesenho e melhorias de layout, ações de benchmarking, diagnóstico e planeamento, excluindo as alterações que se baseiem em métodos de organização já utilizados na empresa;
  2. Economia digital e tecnologias de informação e comunicação (TIC) – desenvolvimento de redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços no mercado. Criação e ou adequação dos modelos de negócios com vista à inserção da PME na economia digital que permitam a concretização de processos desmaterializados com clientes e fornecedores através da utilização das TIC (utilização de ferramentas sofisticadas de marketing pelas empresas – inbound e outbound);
  3. Criação de marcas e design – conceção e registo de marcas (incluindo a criação de marcas próprias ao nível do produto e da empresa), novas coleções e melhoria das capacidades design, excluindo as alterações periódicas e outras de natureza cíclica e sazonal;
  4. Desenvolvimento e engenharia de produtos, serviços e processos – melhoria das capacidades de desenvolvimento de produtos, processos e serviços, designadamente pela criação ou reforço das capacidades laboratoriais, excluindo testes de qualidade dos produtos, protótipos e provas de conceito;
  5. Proteção de invenções e criações – proteção de patentes, modelos de utilidade e desenhos ou modelos (privilegiando produtos e processos dificilmente replicáveis);
  6. Qualidade – certificação, no âmbito do sistema português da qualidade (SPQ) ou de sistemas internacionais de certificação, de sistemas de gestão da qualidade, certificação de produtos e serviços com obtenção de marcas, bem como a implementação de sistemas de gestão pela qualidade total;
  7. Transferência de conhecimento - aquisição de serviços de consultoria e assistência técnica, incluindo formação profissional, nos domínios da transferência de conhecimentos e certificação de sistemas de gestão da investigação, desenvolvimento e inovação (IDI), incluindo atividades de benchmarking ao nível de boas práticas inter e intra setoriais;
  8. Distribuição e logística – introdução de sistemas de informação aplicados a novos métodos de distribuição e logística;
  9. Eco-inovação – incorporação nas empresas dos princípios da eco-eficiência e da economia circular, com vista a promover uma utilização mais eficiente dos recursos, incentivar a redução e reutilização de desperdícios e minimizar a extração e o recurso a matérias-primas, numa lógica de criação e agregação de valor. Inclui a certificações de sistemas, serviços e produtos na área do ambiente, obtenção do Rótulo Ecológico e sistema de ecogestão e auditoria (EMAS).


Nestes 2 Avisos de Concurso são enquadráveis projetos inseridos em todas as atividades económicas, com especial incidência para aquelas que visam a produção de bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis ou contribuam para a cadeia de valor dos mesmos e não digam respeito a serviços de interesse económico geral.

O incentivo a conceder, sob a forma de incentivo a fundo perdido, é calculado através da aplicação de uma taxa de 50% às despesas elegíveis das PMEs participantes e de 85% das despesas elegíveis da Entidade Promotora, neste caso para:

  1. Ações de divulgação e sensibilização com vista a induzir a participação de PME no projeto conjunto;
  2. Ações de acompanhamento e desenvolvimento do projeto, designadamente através da realização de estudos, catálogos e campanhas de promoção e imagem;
  3. A avaliação dos resultados nas PME participantes, com base nos indicadores de acompanhamento e de resultados;
  4. Ações de divulgação e disseminação de resultados;
  5. Custos com pessoal da entidade promotora afetos às atividades descritas nas alíneas anteriores.


Ao abrigo deste concurso o prazo para a apresentação de candidatura decorre entre o dia 30 de dezembro de 2014 e o dia 13 de fevereiro de 2015 (19 horas).

Aproveitando já a nossa experiência em diferentes projetos dos 1ºs concursos do PORTUGAL 2020 realizados em 2014, a GESTOUT encontra-se à disposição de todas as entidades para analisar o potencial dos seus projetos, bem como preparar e antecipar as oportunidades resultantes, assegurando as intervenções necessárias de modo a garantir as condições técnicas exigidas para o efeito, nas suas diferentes vertentes.

PORQUE É QUE OS NOSSOS CLIENTES GOSTAM DE NÓS?

................

 Fale connosco e descubra porque somos especiais

SEDE:

house

Rua Poeta Bocage,
nº 14-D, 1º E
1600-581 Lisboa

tel

Tel: 21 712 18 90/5

imp

Fax: 21 712 18 99

env

geral@gestout.pt

 

Ver no Mapa

DELEGAÇÃO NORTE:

house

Rua D. Frei Caetano
Brandão nº 99, 1º
4700-031 Braga

tel

Tel: 253 619 511

imp

Fax: 253 273 572

env

delnorte@gestout.pt

Ver no Mapa